Ícone do site Blog da Nação Digital

Alta do custo por clique: qual a saída para e-commerces?

alta do custo por clique no e-commerce

A inflação do custo por clique é a dura realidade que e-commerces precisam enfrentar. O aumento dos preços das palavras-chave têm relação com a concorrência, com a alta das vendas online e com o crescimento da busca por espaço na internet. 

Resultado? As empresas estão tendo que investir cada vez mais dinheiro em publicidade digital para que seus produtos e serviços cheguem aos consumidores. Mas até que ponto esse cenário será suportado pelas marcas e pelos e-commerces?

Neste artigo, vamos discutir sobre o assunto e indicar soluções para equilibrar seus gastos com publicidade na internet. 

Por dentro da inflação dos cliques

A escalada dos preços do custo por clique vem sendo notada por varejistas, industriais e prestadores de serviços desde 2021. E o aumento nos preços das palavras-chaves está pulverizado em praticamente todos os nichos. 

A alta nos preços dos anúncios digitais ganhou ainda mais repercussão depois de uma reportagem do jornal Valor Econômico, em fevereiro de 2022, que mostrou que o custo por clique no Google no Brasil subiu 80% em dezembro de 2021. Para se ter uma linha de comparação, nos Estados Unidos, o aumento foi de 18% no quarto trimestre ante igual período de 2020. 

Mas o que pressionou o preço do custo por clique? Segundo o mercado, parte da explicação vem da oferta e procura. Com o aumento das vendas no e-commerce, mais empresas passaram a anunciar produtos e serviços. Com isso, os espaços considerados “nobres” nas plataformas ficaram mais escassos e disputados. Essas áreas premium são a primeira página do Google e os anúncios em destaque nas redes sociais. 

Outra explicação está na popularização dos marketplaces asiáticos (como Aliexpress, Shopee e Shein), que vêm investindo forte no Brasil.

Como reduzir o custo por clique? Investir em conteúdos no site, novos canais e em reconhecimento de marca.

O leilão de palavras-chave do Google 

O preço do custo por clique é definido por motores de busca (Google, Yahoo e Bing). No caso do Google, ele determina quais anúncios serão exibidos com um leilão, que acontece cada vez que uma pessoa pesquisa no buscador ou acessa um site que exibe anúncios.

Existe um conjunto de fatores que determinam quais anúncios serão exibidos e em qual ordem. É uma mistura de lance mais alto, qualidade do anúncio e extensões relevantes (como a inserção de um número de telefone ou links para páginas específicas). Não existe uma tabela de preços, que variam conforme o anúncio e o nicho do e-commerce

Segmentação e sustentabilidade

O relatório The Future of Commerce, elaborado pela Shopify, aborda essa problemática e considera que os custos de publicidade digital estão consumindo cada vez mais os orçamentos de marketing das marcas e colocando em risco os atuais modelos de aquisição de clientes. 

Mesmo com os comerciantes gastando mais e ganhando menos, 41% das marcas estão planejando aumentar os investimentos em anúncios, de olho nos avanços da hipersegmentação, visando atingir as pessoas que já estão prontas para comprar. O problema dessa aposta é que essa segmentação não cria ganhos de longo prazo e nem uma base de clientes sustentável.

“As marcas mais dependentes do marketing de desempenho de curto prazo terão mais dificuldades no espaço comercial cada vez mais saturado”, avalia o estudo.  

Como escapar da alta do custo por clique

Como deixar de anunciar não costuma ser uma opção, especialmente com os e-commerces querendo resultados no curto prazo, a saída é combinar estratégias de marketing.

Reconhecimento de marca

Empresas precisam ter uma marca forte se quiserem fazer parte da vida do consumidor. O Google mostra que mais de 80% dos clientes fazem pesquisas online antes de comprar. É por isso que você deve reservar uma fatia do orçamento para investir em branding

Ter uma marca forte é a base de uma operação comercial sustentável. O branding bem trabalhado também atrai mais compras orgânicas, retém mais clientes e possibilita que você trabalhe com preços mais altos e aumente os lucros.  

À medida que o espaço digital fica mais concorrido, o reconhecimento da marca se torna crucial.

Mostre às pessoas o diferencial e os valores da sua marca por uma narrativa envolvente e que converse com a persona. Os clientes procuram empresas que se alinhem aos seus valores. Um compra não é mais só uma compra; é uma demonstração de confiança e de compartilhamento de crenças e propósitos. 

Conteúdo para e-commerce

O conteúdo orientado para vendas também é uma das formas de reduzir o custo por clique porque atua para amplificar os resultados da etapa mais importante do processo de compra: a página de produto. Ele entrega a informação crucial que vai fazer o visitante converter no e-commerce de forma orgânica.

A essa técnica damos o nome de Performance Content e ela se aplica a todos os sites de vendas, sejam eles B2C, B2B e D2C. E por que ela funciona para qualquer modelo de negócio e nicho? Por que ela entrega a informação que o cliente precisa para comprar.

O Performance Content é construído para refletir o tom de voz da marca, e é por isso que se comunica tão bem com os clientes. Além disso, é formatado de acordo com as melhores práticas de SEO (Search Engine Optimization), é enriquecido com termos relevantes para o segmento, apresenta recursos e benefícios persuasivos sobre o produto para estimular a tomada de decisão e é voltado para melhorar a experiência do usuário no site.

Experiência de compra

Falando em experiência de compra consistente, ela também é uma forma de se distanciar dos concorrentes. Checkout fluido e seguro, site de fácil navegação e rápido carregamento, vitrines personalizadas, entrega ágil e surpreendente e páginas de produtos completas e informativas são apenas alguns dos pontos que fazem parte de uma ótima experiência para o cliente. 

Diversificação dos canais de vendas

Outra recomendação na tentativa de reduzir o custo de aquisição de clientes é diversificar os canais de publicidade e vendas. Você pode explorar novas vias, como compras por voz, TVs, aplicativos de mensagem, entre outros. Considere investir em canais nichados e com bom engajamento.

Importante: não despreze os canais que, comprovadamente, funcionam e são econômicos para engajar seus leads, como e-mail e blog

A alta do custo por clique vem forçando varejistas e prestadores de serviços a buscar alternativas para atingir potenciais clientes na internet. Se você ainda não encontrou uma saída para o seu e-commerce, converse com quem é especialista no assunto há 10 anos: a Nação Digital. Clique na imagem abaixo e entre em contato!

Compartilhe:
Sair da versão mobile