Ícone do site Blog da Nação Digital

Descrição de produto: 17 dicas para seu e-commerce

descricao-de-produto

Este conteúdo foi atualizado em: 01/04/2022

Uma descrição de produto fornece detalhes sobre recursos, indicações, utilizações e benefícios para ajudar a gerar uma venda. A qualidade do texto pode estimular ou interromper a conversão, especialmente se não incluir informações que o visitante precisa para decidir pela compra.

De forma geral, o segredo de como fazer uma boa descrição de produto no e-commerce é atender os quesitos abaixo:

Quer saber como fazer a descrição de um produto para venda e gerar mais conversões? Neste post, listamos 17 orientações e apresentamos exemplos que deram certo. Mas antes de começar vamos te mostrar por que você deve investir em conteúdos que mostrem as características de um produto. Confira!

Por que fazer descrição de produto no e-commerce?

A resposta é muito simples: porque as descrições geram receita para o e-commerce. Esse tipo de conteúdo voltado para resultados nós chamamos de Performance Content, pois ele tem a capacidade de fazer com que os clientes comprem no site.

O Performance Content funciona porque entrega para o consumidor a informação que ele busca e precisa para efetuar a compra, sem contar que influencia todas as oito fases da jornada de aquisição na internet, que são: 

  1. Atenção
  2. Interesse
  3. Desejo
  4. Pesquisa
  5. Atenção
  6. Interesse
  7. Pesquisa
  8. Aquisição

Primeiro, é preciso cativar a atenção do visitante. E melhor ainda se isso for feito de forma orgânica (sem custo), já que a concorrência aumentou e a mídia paga (Google e Facebook, por exemplo) está cada vez mais cara. 😨

Depois, você apresenta o produto para atrair o interesse do consumidor ao site. Ele vê as fotos e tem o desejo de compra despertado. No entanto, procura informações na página e não encontra o que precisa.

Desapontado, o consumidor volta a pesquisar sobre o produto na internet, buscando alternativas semelhantes e informações importantes. E aqui, mais uma vez, você paga caro para chamar a atenção dele, que já está bem mais disposto a comprar.

Nessa pesquisa, o usuário consegue fazer uma filtragem do que realmente lhe interessa, e seleciona produtos da sua empresa e também de concorrentes.

O consumidor visita as páginas de produtos e se baseia nas características descritas para decidir qual deles vai atender melhor às suas necessidades.

Por fim, chega o momento da aquisição. E vence a empresa que estiver melhor preparada para atender o consumidor e ajudá-lo na jornada de compra.

1. Responda a algumas perguntas antes de começar

Não sabe o que escrever para divulgar um produto? Um texto de descrição básico jornalístico, por exemplo, responde a seis perguntas: quem, o quê, onde, quando, como e por quê. Você pode aplicar essa lógica para fazer descrição de produtos no e-commerce.

2. Escreva para a persona

Ao descrever um produto para venda, você deve entender quem é a sua persona para tornar o texto interessante e convincente. Seu e-commerce vende produtos odontológicos e hospitalares? O tom de voz precisa ser técnico e sério, e a descrição que você elaborar deve ser completa.

É um petshop online? Descreva os ingredientes da ração úmida, sua textura e suculência. Lembre-se: tutores estão em busca do bem-estar e da felicidade dos pets. Pensando nisso, experimente acrescentar a frase “Seu gato vai amar!” para fazer uma boa descrição do produto.

Na Surya Dental, a descrição de produtos é extensa e de linguagem técnica.

3. Mostre os recursos e benefícios do produto

A descrição de um produto deve mostrar seus recursos (que são as especificações e os detalhes) e benefícios (sua utilidade para o cliente). Geralmente, os consumidores já estão cientes dos recursos – por isso, estão à procura dele. Agora, se você quer que o seu e-commerce continue atraindo visitantes, é interessante escrever sobre as vantagens que o item oferece.

4. Informe a matéria-prima

Comunique qual é o material utilizado na fabricação do produto. Se for um tênis, descreva os materiais que revestem cada parte (cabedal, palmilha, biqueira, cadarço, drop, entressola, contraforte e solado). Se for um vestido, informe a composição do forro e os materiais dos detalhes.

Informe também se a matéria-prima é orgânica, sustentável ou vegana.

5. Descreva as medidas

Esteja atento às dimensões do produto, o que significa elaborar um texto para loja online que informe detalhadamente as medidas de roupas, calçados, móveis, eletrodomésticos e eletroeletrônicos para que o consumidor tenha segurança ao efetuar a compra.

E-commerces de moda devem investir em uma solução para que os consumidores encontrem o próprio tamanho, além, é claro, de informar P, M, G e GG.

Mas como fazer ficha técnica de moda? O recurso deve levar em consideração as medidas do corpo para encontrar o tamanho certo, fazendo com que o cliente acerte e diminua as chances de troca – o que encarece a logística.

Descrição para loja de roupas: site da Via Tolentino ensina a consumidora a tirar as medidas e encontrar o tamanho certo da peça.

6. Trabalhe as palavras-chave do jeito certo na descrição de produto

Ao contrário do que muitos pensam, a repetição da palavra-chave no texto não é considerada uma boa prática de SEO. Além disso, pode empobrecer a descrição, afastando os potenciais clientes do site.

A dica é utilizar as palavras-chave e termos complementares de maneira inteligente e natural – não escreva para o Google, e sim para as pessoas. Dessa forma, seu conteúdo autoral terá boas chances de ranquear nos mecanismos de busca.

Para fazer esse planejamento, utilize o próprio Search Console (para saber quais palavras trazem mais tráfego para o site), o Keyword Planner, o Ubersuggest e o SEMRush.

7. Prefira as palavras-chave long tail

Palavras de cauda longa são mais específicas, menos concorridas e, por isso, indicadas para e-commerces de nicho. Pequenos e médios negócios especializados em artigos esportivos ou eletrônicos, por exemplo, devem investir em termos específicos e que não competem com grandes players, caso contrário a estratégia de SEO corre o risco de não funcionar.

Quer um exemplo de descrição de um produto? Vamos analisar a palavra “tênis”. Tem alto volume de buscas e extremamente concorrida, mas que não necessariamente converte o bastante. Já a frase “tênis Nike Vaporfly Next% masculino verde”, que é um termo long tail, embora tenha menor volume de buscas, demonstra maior interesse de compra, indicando que a pessoa está no fundo do funil, prestes a converter.

Veja o exemplo na prática:

Volume de buscas mensais para os dois termos no Brasil, segundo o Ubersuggest.

8. Escolha o melhor formato para descrever o produto

Uma boa ideia é mesclar parágrafos e bullet points. Faça com que os marcadores concentrem informações técnicas do produto, como dimensão, material e cor, e frases curtas, como benefícios, funções ou características de um produto, que sejam fáceis e rápidas de ler.

É nos parágrafos que você deve contar uma história para convencer o cliente a comprar. Explique como será útil para o dia a dia, como foi desenvolvido (se couber, use “Você está adquirindo um produto artesanal”) e o que o cliente pode esperar dessa nova experiência. Imagine que você acabou de descobrir um produto incrível e quer contar a novidade a um amigo, como o descreveria?

Nesses parágrafos, você pode ser criativo e manter o tom de voz da sua comunicação, seja formal, casual ou bem-humorada.

Página de produto da Shopinfo: formato de parágrafo e bullet points.

9. Escreva um título atrativo

O título deve ser atrativo e despertar a curiosidade do visitante, gerando um clique. Evite chamadas genéricas, mas também não forneça muitos detalhes – deixe as especificações para a descrição do produto.

O título será o primeiro contato do consumidor com o produto tanto no site de busca quanto no seu e-commerce.

10. Use recursos visuais

Qual recurso seria interessante incluir na página de descrição de um produto? A descrição do produto não envolve apenas texto, mas também fotos, gráficos, vídeos e infográficos. Os recursos visuais adicionam informação, exemplificam uma forma de utilização, mostram os atributos e os benefícios de um produto e reforçam o que o texto já explicou.

Os infográficos, por exemplo, podem explicar como funciona o produto, e o vídeo pode trazer informações extras e dicas de recursos.

Infográfico no e-commerce da Plantei explica como é o funcionamento do vaso autoirrigável.

11. Aplique SEO nas imagens de produtos

Os consumidores podem encontrar o seu produto fazendo uma busca por imagens, por isso você deve otimizá-las para SEO. Isso significa prestar atenção ao nome e ao tamanho do arquivo e ao campo texto alternativo (Alt Text) da plataforma de e-commerce.

Ao subir fotos de produtos para e-commerce, o nome do arquivo vai aparecer na URL da imagem e será assim que o Google vai procurá-la. Nomeie o arquivo pensando nas palavras-chave, como: “sandalia-infantil-lilas.jpg”. Não envie uma foto nomeada com “imagem001.jpg”.

Mantenha o tamanho da imagem o menor possível, mas que não prejudique a qualidade e nem a visualização. Veja algumas dicas de otimização:

Prefira o formato .jpg ou .jpeg para os arquivos, pois são mais leves. O .png é indicado quando você precisa da transparência da imagem e para vetores e ilustrações.

O Alt Text tem a função de descrever a imagem para que o Google consiga identificá-la e também é uma ferramenta de acessibilidade, pois os leitores de tela leem as características para deficientes visuais. Faça uma descrição natural, não use palavras-chave em excesso, seja simples e breve, como “sandália infantil lilás (nome da marca)”.

12. Crie uma meta-descrição

A meta-descrição não é importante apenas para a home do site, ela deve estar em todas as páginas de produto.

Explique o item e escreva sobre seus benefícios. Lembre-se que a meta-descrição deve ser curta, simples e direta. Use sempre a palavra-chave! Uma dica para visualizar como ficarão o título e o texto é utilizar o Serp Simulator, que mostra uma prévia da meta-descrição no Google.

Exemplo de meta-descrição em página de produto da Quintal Dermocosméticos.

Tenha cuidado para não ultrapassar os limites de pixels e seu texto ficar incompleto no Google. Se você não fornecer uma meta-descrição, o buscador vai selecionar um texto aleatório da página para criá-la automaticamente – e nem sempre pode ser o trecho mais interessante para o cliente.

13. Produza conteúdos autorais

Texto pronto para vender um produto? Nada disso! Se você quer realmente envolver o consumidor e aumentar suas conversões, precisa ter conteúdos autênticos e únicos, produzidos exclusivamente para o seu e-commerce. 

Se você vende produtos de um fabricante que disponibiliza as descrições prontas, não as utilize integralmente no seu e-commerce. Em vez disso, use o texto somente como inspiração para fazer seus próprios conteúdos autorais.

Descrições iguais em vários sites não chamam a atenção de ninguém, mas quando você faz um texto diferente, tem mais condições de se destacar nos resultados de pesquisa — é assim que trabalha o Performance Content.

14. Utilize técnicas de storytelling

Ninguém compra somente um biquíni. A pessoa compra a experiência de passar as férias na praia se sentindo mais linda e confortável!

Aplicar técnicas de storytelling nas descrições significa construir uma narrativa em torno dos produtos para agregar valor a eles, engajar a persona e convencê-la a comprar. Essa estratégia deixa o texto mais envolvente, desperta emoções, chama atenção e cria vínculo com o público. 

Se você é do segmento de moda e o diferencial das peças está na modelagem e no tecido, pode usar expressões que passam conforto, bem-estar, aconchego, leveza e qualidade. 

Os adjetivos também funcionam para alimentos e bebidas, especialmente em vinhos. Veja a seguir!

15. Estimule a experiência sensorial na descrição de produto

Estimule sensações no público para que, mesmo lendo a descrição por uma tela de computador ou celular, ele saiba como seria tocar, provar ou sentir o produto. Um texto que utiliza adjetivos sensoriais faz com que os usuários experimentem-no enquanto leem.

Na descrição de um tênis, por exemplo, você pode usar a expressão “que abraça o seu pé” para passar a sensação de segurança e conforto. Para especificar o tecido, é possível escrever “toque gentil na pele”, que transmite leveza e qualidade.

Os adjetivos também funcionam para alimentos e bebidas, especialmente em vinhos. “Suculento e convidativo” são palavras que cabem na descrição de um rótulo, assim como “refrescante e delicado”.

Página de descrição de vinho no e-commerce Divvino: experiência sensorial desperta o paladar do visitante.

16. Use provas sociais

Os consumidores se sentem mais seguros ao saber que o produto foi avaliado por outros compradores. Ter opiniões dos clientes na página funciona também como uma influência para o visitante.

Essa avaliação pode ser por estrelas ou depoimento. Para estimular os clientes a deixarem suas opiniões, faça um fluxo de e-mail para ser enviado assim que o comprador receber o produto.

17. Crie hotsites para os produtos

O hotsite garante uma experiência imersiva do cliente em um produto ou linha recém-lançada. O usuário que chega ao hotsite está mais consolidado para a conversão, pois demonstrou interesse em conhecer a fundo a novidade.

Essa página temporária pode abrigar mais imagens, infográficos, texto, vídeos e a história de desenvolvimento do produto.

Hotsite da Plantei sobre as jabuticabeiras para o lançamento do tipo híbrida.

Textos e imagens das descrições de produtos precisam ser interessantes e convincentes para que o cliente adicione o item no carrinho e efetue a compra. Como o seu e-commerce está se saindo nessa? Se você gostaria que um especialista na área avaliasse as suas páginas de produtos e categorias, clique na imagem abaixo e receba uma análise gratuita do seu site feita pela Nação Digital.

Compartilhe:
Sair da versão mobile