Ícone do site Blog da Nação Digital

Técnicas de SEO para blog 2022: fatores cruciais para ranquear

tecnicas-seo-para-blog

Este conteúdo foi atualizado em: 20/12/2021

Aparecer nas primeiras colocações em um resultado de busca não é um trabalho fácil. É preciso entender como o Hummingbird, o algoritmo do Google, funciona e otimizar seus conteúdos com técnicas de SEO para blog.

O Google tem mais de 200 fatores de ranqueamento, mas você sabe quais são realmente importantes para atrair mais tráfego orgânico para o seu blog? Neste artigo, apresentamos os fatores essenciais para quem quer ranquear melhor. Veja quais são!

Velocidade de carregamento

A velocidade da página é um dos principais fatores de SEO para blog. O Google está sempre em busca de aprimorar a experiência do usuário, por isso mostrará primeiro os sites que carregam mais rápido.

Use o Page Speed Insights, ferramenta gratuita do Google, para medir a velocidade da sua página, ou a Test My Site para versões mobile. Se o tempo de resposta for acima de 3 segundos, considere fazer otimizações em imagens e na programação.

Responsividade

Ter um blog compatível com dispositivos móveis é fundamental para ranquear no Google. Esse é um fator de importância porque os usuários estão usando mais o celular do que o desktop para navegar na internet.

Segundo o Wolfgang Digital’s KPI Report 2020, 70% do tráfego na web tem origem em dispositivos móveis, seguido por desktop (22%) e tablet (8%).

Não basta somente ter um site amigável para mobile; é importante que o redimensionamento seja inteligente para caber automaticamente na tela do dispositivo, que as fontes utilizadas sejam em tamanho que facilite a leitura e que o conteúdo não seja ocultado por anúncios ou pop-ups complicados de fechar.

Autoridade da página e do domínio

A autoridade da página é uma combinação de conteúdo de qualidade, links internos e backlinks.

Segundo a Moz, a autoridade da página e do domínio são medidas em uma escala de 0 a 100, em que quanto mais alta a nota maiores as chances de seu conteúdo aparecer nas primeiras páginas de resultados de pesquisa.

A nota é calculada com base no total de links externos e na qualidade dos sites que fazem direcionamentos para o seu blog.

Você pode utilizar a ferramenta Open Site Explorer para verificar a autoridade do site. Basta inserir o URL para receber um relatório completo.

Conteúdo otimizado

O algoritmo de busca do Google se baseia em palavras-chave, que são aquelas frases que os usuários digitam ou falam quando procuram informações. É por isso que o seu trabalho de conteúdo deve estar centrado nelas.

Mas só elas não bastam. É importante incluir termos relacionados às buscas que os usuários fazem. Essa forma de construção de conteúdo (palavras-chave + termos complementares) vai ajudar o Google a saber quais resultados devem ser exibidos para a intenção de busca do usuário – que, aliás, merece ser um ponto de atenção.

Vamos supor que você identificou o termo “tecido animal print para roupas” e gostaria de classificar no Google para ele. Antes de escrever, é preciso entender quem faria a busca: se um consumidor final ou uma fábrica.

Nesse contexto, a chance de uma confecção procurar por esse termo é maior. Portanto, se o seu público for consumidor final, desenvolver um conteúdo com essa palavra-chave pode não atender às necessidades dele e, por isso, você não vai ranquear.

O tamanho do texto importa? Sim! O Google se interessa mais por conteúdos de qualidade e extensos, na casa das 2 mil palavras. Uma pesquisa mostra que os três primeiros resultados no Google têm conteúdos entre 2,4 mil e 2,5 mil palavras. Veja o gráfico:

Gráfico faz a relação entre o número de palavras e a posição nos resultados de busca.

Mas isso não é regra entre as técnicas de SEO para sites 2021/2022. Se a resposta à dúvida da persona puder ser dada em um número menor de caracteres, não se esforce para esticar o texto.

Outras dicas para otimizar conteúdos dentro das estratégias de SEO são:

Vídeos

Comece a incluir vídeos na sua estratégia de conteúdo, pois 43% dos entrevistados pela Hubspot afirmaram querer ver mais materiais em vídeo no futuro.

Google Featured Snippet

O Google vem cada vez mais exibindo uma espécie de caixa com parte do texto como resultado de uma busca. É a chamada “posição zero”, ocupada geralmente por listas, receitas, tutoriais e tabelas. Para conseguir esse lugar, você precisará responder perguntas, formatar corretamente os títulos, fazer listas ou tabelas.

Esse mecanismo pode ajudar bastante na criação da autoridade do blog. Se o Google entende que você tem a melhor resposta para aquele problema e que ela deveria ficar em destaque, é sinal de que o seu canal tem credibilidade aos leitores. Apostar nessa estratégia pode resultar em maior tráfego e, principalmente, CTR.

Palavra-chave em título e meta-descrição

A palavra-chave precisa aparecer no título dos posts, que é o lugar onde o Google procura primeiro para eleger o conteúdo mais adequado para a busca. Utilize H2, H3, H4, H5 e H6 nos subtítulos para hierarquizar o conteúdo.

Sempre que puder evitar os bullet points, por exemplo, faça. Criar os conteúdos nos formatos das heading tags ajuda o Google a classificar o seu material entre as primeiras posições, além da prioridade e categorização de informação serem agradáveis ao buscador e aos leitores.

Faça uma meta-descrição que atraia e envolva os leitores. É fundamental incluir a palavra-chave. Seja criativo e persuasivo para convencer o usuário de que o seu material é o que ele procura.

Para acabar não estourando o limite e espaço de palavras na caixa, uma boa ferramenta é a SERP Simulator. Nela, você pode simular se o título e a meta-descrição do conteúdo não vão ultrapassar o limite da busca, seja para desktop ou mobile.

Simulação do título e meta-descrição dentro da SERP Simulator.

Palavras-chave de cauda longa

Pegando o gancho do uso da palavra-chave, a dica para quem está começando um blog agora é escolher os termos de cauda longa, que são menos concorridos e, consequentemente, mais fáceis de ranquear no Google e de gerar tráfego qualificado.  

Palavras-chave de cauda longa (ou long tail) são termos bem específicos. Veja um comparativo:

  1. tênis para corrida -> 40,5 mil buscas mensais
  2. tênis para corrida feminino nike -> 580 buscas mensais

O exemplo A é uma palavra-chave extremamente concorrida, explorada por grandes players, que, geralmente, têm ótima autoridade de domínio e, por isso, aparecem bem ranqueados no Google.

O exemplo B é uma palavra-chave long tail, com concorrência menor e, portanto, mais fácil de ranquear para blog iniciantes. A dica de ouro é investir, primeiro, nos termos menos disputados e, depois, partir para consultas com maior competitividade.

Links

Os links são fatores cruciais para o ranqueamento no Google. Construa um conteúdo com links internos e externos e desenhe uma estratégia para conseguir backlinks de sites de qualidade.

Usar links internos nos conteúdos é uma forma de unir páginas para o Google e os visitantes, tornando-as valiosas. Ao fazer links para outros conteúdos do blog, você acaba permitindo que o leitor encontre a sua outra página, fazendo com que elas apareçam em melhores posições nos mecanismos de busca.

URLs amigáveis

Seu blog e todas as demais páginas devem ter URLs otimizadas, curtas, fáceis de ler e de lembrar. A melhor prática é utilizar somente a palavra-chave. Vamos a um exemplo.

Se a palavra-chave principal do seu conteúdo é “decoração da árvore de Natal”, é exatamente esse termo — e somente ele — que deve fazer parte do seu URL, assim: “…/decoracao-da-arvore-de-natal”. 

Não é recomendado usar o título completo do post e nem a data de publicação no URL. Se seu blog é feito no WordPress, basta fazer um ajuste simples no painel administrativo. O caminho é: Configurações -> Links permanentes. Selecione a opção “Nome do post” e clique no botão “Salvar alterações”.  

Mas atenção: essa alteração só é indicada para blogs novos, que estão começando agora ou que não têm conteúdos bem ranqueados. Se você tiver um canal consolidado, não modifique o URL, caso contrário suas páginas perderão ranqueamento e toda a autoridade conquistada junto ao Google. Caso precise alterar URLs, é melhor fazer redirecionamento.

Ter apenas a palavra-chave no título também dá mais liberdade para atualizar o conteúdo nos anos seguintes, deixando-o mais atemporal. Vamos supor que em 2019 você criou um texto com o título “10 ideias de decoração da árvore de Natal em 2019” com o URL “10-ideias-de-decoração-da-arvore-de-natal-em-2019”. Só que agora, você quer atualizá-lo inserindo mais dicas e mudando o ano. 

Por questões de ranqueamento, você deve manter o URL, mas viu como perde relevância a divulgação com o endereço datado? Por isso, usar somente a palavra-chave é uma boa prática.

Compartilhamentos

Um conteúdo considerado valioso pelos visitantes geralmente tem mais compartilhamento nas redes sociais. Essa foi a conclusão de um estudo da Cognitive SEO, que analisou sinais sociais do Facebook, Google+ (extinto), Pinterest e LinkedIn em 300 mil peças de conteúdo e 23 milhões de ações, entre curtidas, compartilhamentos e comentários.

Embora o Google afirme que o compartilhamento social não é um fator direto de ranqueamento, é inegável que boa parte das páginas que estão no topo dos resultados tem grande número de compartilhamentos. Dessa forma, os sinais sociais ajudam, mesmo que indiretamente, a ficar entre os primeiros.

Conteúdo pilar

Seu blog deveria ter conteúdos pilares, que são posts centrais sobre um tema importante para o seu nicho. Se o seu canal é sobre roupas para academia, um dos seus textos principais poderia ser “roupas femininas para treinar na academia”, os secundários seriam “melhores tecidos para roupas de academia”, “tops para treinar”, “acessórios para usar na academia”, “estampas de roupas para musculação” e por aí vai.  

O papel dos assuntos secundários será fortalecer os textos principais por meio de links, que vão apontar para os conteúdos pilares.

Certificados de segurança

Sites seguros, com certificado SSL e HTTPS, obtêm melhor posicionamento nos resultados de busca. O Google afirma que a segurança está entre suas prioridades, por isso os algoritmos valorizam páginas que usam conexões seguras e criptografadas.

O Google informa que o HTTPS ainda é um sinal leve de classificação, afeta menos de 1% das pesquisas globais e tem, portanto, menos peso do que um conteúdo de qualidade, por exemplo.

Sites seguros são priorizados nos resultados de busca do Google.

RankBrain

O Google trabalha com inteligência artificial e usa o RankBrain para classificar as páginas e apresentar os melhores resultados para os visitantes. Isso quer dizer que o RankBrain interpreta uma busca do usuário e apresenta as páginas que não necessariamente têm as palavras exatas pesquisadas.

Quer um exemplo? Uma reportagem da Bloomberg ilustrou muito bem a atuação do RankBrain com a pesquisa “qual o nome do consumidor mais alto da cadeia alimentar”. Apesar da consulta parecer estranha – por usar a palavra “consumidor” em vez de “predador”, que seria a mais comum –, no teste, o Google forneceu boas respostas.

Resultados semelhantes foram dados também a consultas mais comuns, como “maior nível da cadeia alimentar”. O que o RankBrain fez no teste da Bloomberg foi conectar uma pesquisa de cauda longa e complicada a uma consulta mais curta e simplificada, entendendo que as duas são muito parecidas e que, portanto, podem ajudar os dois usuários.

Usabilidade

Esta técnica de SEO para blogs tem a ver com a experiência do usuário dentro do site. Esse fator de ranqueamento é medido por três índices: visualizações de página, taxa de rejeição e tempo de permanência.

Visualizações de página

Número de vezes que uma página foi acessada. A cada vez que um mesmo usuário entra na página, é contada uma nova visualização.

Taxa de rejeição

A rejeição é quando um usuário entra na página e sai em seguida, sem clicar em lugar algum. O cálculo da taxa é feito dividindo as sessões de página única por todas as sessões.

Tempo de permanência

É o tempo médio que os usuários ficam em uma página específica. O indicador está bastante ligado à experiência do usuário.

Essas técnicas de SEO para blog são essenciais para implementar em uma estratégia de conteúdo.

Além de ter conteúdos otimizados, site responsivo e usar as palavras-chave certas para o seu nicho, já pensou na importância do SEO para imagens? Aprenda mais sobre o assunto com o nosso novo e-book; clique no banner para fazer o download gratuito!

Compartilhe:
Sair da versão mobile